sábado, 2 de maio de 2009

A fuga do anão

Um anãozinho entra num bar e diz para o garçom:
- Me vê um uísque duplo!
O garçom vê que o baixinho não está para brincadeira, e serve-lhe imediatamente o uísque duplo. O cara o toma de um trago e pede outro. O garçom se compadecem dele e pergunta o que é que está chateando-o tanto assim. O sujeito não se faz de rogado:
- Olha, eu estava sentado no balcão do bar em frente quando uma loira gostosíssima entrou e sentou ao meu lado. Pensei "Nóssa, isto nunca me aconteceu!". Eu estava vendo minha fantasia se tornar realidade. Alguns minutos depois senti a mão da loira no meu ombro e ela se virou para mim e deu uma mordidinha na minha orelha, e perguntou se eu estava interessado. Eu nem podia acreditar no que estava acontecendo. Eu disse que sim, e ela me puxou para fora do bar. Bom demais para ser verdade!
Ele continua:
- Ela me levou até o hotel na quadra de baixo e subimos até o quarto dela. Assim que ela trancou a porta ela tirou a roupa. Ela não usava nada debaixo! Eu fiquei pelado em um minuto! Mas assim que eu pulei na cama ouvi um barulho de chaves na porta, de alguém querendo abrir. A loura disse: "É meu MARIDO! Para ele estar chegando agora ele deve Ter perdido a luta de boxe e deve estar furioso! Rápido, esconda-se!"
- Então abri a porta do armário mas, achei que este seria o primeiro lugar que ele iria procurar. Olhei debaixo da cama mas, também achei que seria óbvio demais. Mas eu estava ouvindo o barulho da chave e tinha que agir rápido! Vi a janela aberta e pulei, pendurando-me no parapeito, torcendo para o cara não me ver.
O garçom comenta:
- Você devia estar bem frustrado nessa hora!
- Isso não é nada - continua o sujeito - O marido entrou no quarto, viu a mulher pelada na cama e gritou: "Com quem é que você estava trepando, sua vagabunda?". Ela respondeu: "Ninguém, querido; deita na cama e relaxe". Mas, o sujeito começou a revirar o quarto. Ele abriu o armário e em seguida olhou debaixo da cama. Ainda bem que eu pensei nisso! Mas, aí ele começou a arrancar as cortinas. Eu fiquei quietinho esperando que ele não me visse. Aí ele entrou no banheiro e ouvi um barulho de água. Pensei que ele tivesse ido tomar banho mas, ele saiu com um vaso cheio de água fervendo. E o filho da mãe jogou a água pela janela, queimando-me a cabeça e os ombros.
O garçom está horrorizado:
- Pelo menos ele te deixou ir embora...
- Nada! - continua o sujeito - Se fosse só isso! Aí o desgraçado começou a fechar a janela em cima dos meus dedos. Olhe só em que estado estão! Eu quase não consigo segurar o copo.
- É, posso entender por que você está aborrecido - diz o garçom.
- Não foi isso que me aborreceu - explica o sujeito - Foi quando olhei para baixo e vi que eu estava a 50 centímetros do chão!

Nenhum comentário:

Postar um comentário