quarta-feira, 29 de abril de 2009

Caranguejos

Sábado de manhã, logo após acordar, a esposa grávida diz para o marido:
- Benhê! Eu acordei com uma vontade de comer caranguejo... mas não se preocupe, é só vontade de mulher grávida, logo passa.
- De jeito nenhum! Não vou deixar de atender a um desejo seu. Vou pegar o carro, ir até a praia e ver se compro uns bons caranguejos.
O cara troca de roupa, pega o carro e vai até a praia procurar quem venda caranguejo. Chegando lá, vai a uma padaria próxima comprar um maço de cigarro e encontra por acaso, uma antiga namorada do colégio.
Animados com o reencontro, os dois resolvem tomar uma cervejinha. Uma cervejinha aqui, outra ali, sorrisos, empolgação, beijinhos, e no final da tarde os dois acabam indo para o motel. Foi aquela festa, e o cara exausto, acaba pegando no sono. No domingo de manhã o cara dá um pulo da cama e diz:
- Meu Deus! Os caranguejos! Como vou explicar essa demora?
Despede-se da antiga namorada e sai como um louco para comprar os tais caranguejos. Pensa e pensa e não consegue encontrar uma desculpa razoável para contar à esposa, então decide:
- Vou contar tudo a ela. Não tem jeito. Eu perdido, vou ter que contar tudo.
Chegando no prédio, sobe pelo elevador, ainda pensando numa história, mas nada lhe vem à cabeça. Ao sair do elevador, tropeça, indo parar no chão com o saco de caranguejos e tudo. Na queda, o saco se abre e espalha caranguejo pra tudo quanto é canto do corredor. A esposa ouve o barulho, e já apreensiva pelo sumiço do marido, abre a porta do apartamento. Agachado, o cara vai empurrando os caranguejos pra dentro de casa, dizendo:
- Vamos lá, minha gente! Vamos entrando! Demorou, mas chegamos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário