sexta-feira, 29 de agosto de 2008

A seca do prisioneiro

Uma vez um prisioneiro escapou do presídio do Carandiru, depois de 15 anos enclausurado
naquela prisão horrenda. Durante sua fuga, ele encontrou uma casa, arrombou e entrou.
Ele deu de cara com um jovem casal paulistano que estava na cama. Então, ele arrancou o cara
da cama, o amarrou numa cadeira e amarrou a mulher na cama. Quando ele estava em cima da
esposa, o marido o viu beijar a nuca da moça. Logo depois, ele levantou-se e foi ao banheiro.
Enquanto ele estava lá, o marido falou para sua mulher:
- Ouça, esse cara é um prisioneiro, olhe suas roupas! Ele provavelmente passou muito tempo na
prisão e há anos não vê uma mulher, por isso te beijou a nuca. Se ele quiser sexo, não
resista, não reclame, apenas faça o que ele mandar, dê prazer a ele. Esse cara deve ser
perigoso, se ele se zangar, nos mata. Seja forte, amor, eu te amo!
E a mulher respondeu:
- Estou feliz que você pense assim. Com certeza ele não vê uma mulher há anos, mas ele não
estava beijando minha nuca. Ele estava cochichando em meu ouvido. Ele me falou que te achou
muito sexy e perguntou se temos vaselina no banheiro. Seja forte, amor. Eu também te amo!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário